TUDO E NADA


Enchi-me de tudo

Que acreditava bastar-me

Não achando bastante

Continuei a encher-me

Pensando saciar a alma

Que, sem calma,

Impaciente

Esgotava-se com tudo.

Cheio de tudo

Tudo começou a sufocar

Faltou-me o ar

O corpo se pôs em cansaço

Atrapalhou meus passos

Isolou-me do Mundo

Sem tirar-me do mesmo lugar

A alma engasgada de tudo

Não reagiu ao corpo cansado

Tingiu os cabelos de branco

Enrugou a pele do rosto

E o tudo que agora é nada

Nunca foi, de fato, o bastante

Para quem queria tudo

Mas não precisava de nada.

Uma resposta para TUDO E NADA

  1. mariel disse:

    Viver não é um coisa?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: