Os cegos do castelo


É inegável que existem coisas na vida que não adianta ninguém nos mostrar, é como se tivéssemos adquirido uma cegueira congênita. Olhamos, vemos, mas não enxergamos um palmo daquilo que está tão nítido ali, bem na nossa frente. Não sei se por autodefesa, por ignorância, ou até mesmo por simples vergonha, o fato é que optamos, muitas vezes, a nos colocar cegos diante de certas situações, do que ter que enxergar aquilo que é tão óbvio.

Às vezes, muitas pessoas preferem se colocar realmente como cegos diante de diversas situações da vida, quem sabe até para fugirem e não se envolverem em dilemas e discussões, mas, muitas vezes, a cegueira das pessoas é crônica e faz com elas sejam capazes de defender o indefensável. E não existe argumentação capaz de fazê-las mudar de opinião, sendo ainda capazes de culparem aqueles que não se furtam a enxergar.

Temos vivido tempos em que muitos se fazem de cegos para não enxergarem a situação crítica que estamos vivendo, preferem outras tantas desculpas, a terem que abrir os olhos para tudo o que estamos vendo. Alguns se fazem de cegos para certas situações, outros, se fazem de cegos para outras. De lado a lado, o que vemos é uma cegueira institucionalizada para não enxergar a desfaçatez infestada no Reino

Mas, a verdade é que os cegos do castelo, jamais enxergarão os defeitos e as falhas dos seus Reis, pois, a eles, confiaram suas vidas e sempre o fizeram de olhos fechados, não há o porquê agora, quererem enxergar algo diferente. É muito mais fácil se apoiar na cegueira e acusar aqueles que acusam os Reis de falcatruas, de desonestidade, de corrupção, de enriquecimento ilícito, do que abrir os olhos para a mudança de padrão das vidas dos Reis.

Mas, sabemos que não adianta, os cegos, são cegos e ponto, muito diferente daqueles que, por alguma infelicidade, nasceram com uma deficiência visual, ou a contraíram durante a vida, pois esses têm a sensibilidade de perceber o quanto uma situação, ou uma pessoa é verdadeira. Enganam-se aqueles que pensam que deficientes visuais e cegos são a mesma coisa. É como diz o velho ditado: O pior cego é aquele que não quer ver!

Quem quiser pode tirar as suas próprias conclusões, só não enxerga quem não quer e, aqueles que não querem mesmo enxergar, se fazem de cegos diante de todas as evidências. Mas, alguns, jamais abrirão mão de sua cegueira para ir contra ao que julgam injustiça, pois são e sempre serão, fiéis aos seus Reis e os defenderão, mesmo que todos lhes digam que se abrirem os olhos, se surpreenderão. Mas, enxergar a verdade lhes doerá a alma.

Cabe àqueles que não se negam a enxergar as fartas e já sabidas evidências dos maus comportamentos dos vários Reis, desde antes mesmo de seus reinados, buscarem abrir os olhos de quem já acena com uma visão desconfiada dos fatos, mas ainda tem o olhar distorcido pela imagem que um dia lhes foi fabricada para iludir as suas retinas, para que assim mais gente possa enxergar de forma bem clara, as verdadeiras faces destes Reis.

2 respostas para Os cegos do castelo

  1. Uma preguiça congênita, uma falta de motivação, pois é mais fácil se acomodar em certas situações do que procurar algo melhor para evoluir.
    A cegueira está sendo universal!

  2. mariel disse:

    Preguiça congênita. Gostei. (e do post, claro, muito)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: