Deixa a minha Escola passar


Deixa a minha Escola passar, porque hoje já não se precisa mais usar de malícia, nem de malandragem, para escapar de polícia por entre becos e vielas nas madrugadas mal iluminadas, nem tão pouco buscar abrigo seguro no colo da mãe de santo de nenhum Terreiro de Candomblé, para poder ficar, até o raiar do dia, dançando e batucando sob as bênçãos dos orixás.

Deixa a minha Escola passar, porque hoje já não se precisa ter vergonha de descer o morro, nem de circular para além das ruelas estreitas de qualquer comunidade, se escondendo em bares boêmios mal frequentados, nem tão pouco é preciso que o ritmo da batucada e dos belos versos de nossas canções, seja entregue a mercê da sorte para quem não entende a melodia.

Deixa a minha Escola passar, porque hoje o suor que corre pelo rosto e os gritos que ecoam pela avenida, não são mais de lamento, muito menos de dores dos tantos açoites que marcaram a alma para sempre, pois, hoje não é mais preciso esconder, nem disfarçar a alegria, já que é permitido compartilhar a felicidade do ritmo da batucada com quiser ouvir.

Deixa a minha Escola passar, porque hoje o ritmo já virou Patrimônio Cultural do país e todos já sabem que caiu no gosto do povo, ou de pelo menos, para parte dele; já quebrou a barreira da divisão de classe, pois, há tempos, coloca, lado a lado, na mesma avenida, brancos e negros, patrões e empregados, ricos e pobres, héteros e homossexuais, embaixo da mesma fantasia, dançando e cantada ao som da mesma batucada até o raiar do dia.

Deixa a minha Escola passar, porque hoje já se tem a liberdade de exaltar a história de um povo que foi subserviente a ponto de viver escravizado e, que embora ainda sinta as duras consequências ancestrais, se veste de alegria em todo fevereiro, para colocar na avenida um pouco de sua história, dos seus mitos, dos seus ritos e de suas crenças.

Deixa a minha Escola passar, porque hoje é dia deixar toda a tristeza, guardada no fundo de uma gaveta, no canto de todo barraco, e deixar todos os problemas para serem revolvidos depois da quarta-feira, pois, o que importa agora, é que a felicidade pede passagem, e vem para acalentar a alma sofrida pelas dores da vida que ainda castiga sem perdão.

Deixa a minha Escola passar, não porque é carnaval, mas porque o que se quer é festejar a alegria de poder dançar e cantar, exalando a força da negritude que corre nas veias, sem querer mais nada, nem tão pouco incomodar aqueles que não compartilham da importância cultural de ver um povo que ainda sangra as dores do preconceito, desfilar as suas fantasias na esperança de um mundo menos preconceituoso.

Deixa a minha Escola passar…

Uma resposta para Deixa a minha Escola passar

  1. mariel disse:

    Não sou muito do sampa. Mas por mim, passarão em paz

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: