Ajustando as velas


Sempre que começo um novo ano, sinto que a vida se torna o meu veleiro com o qual deixo o cais rumo ao inesperado de um mar desconhecido. Saio alegre pela oportunidade de mais uma nova viagem, fazendo planos, traçando metas, ajusto as velas, segurando firme no leme, deixando o vento que corta o veleiro, desmanchar meus cabelos e acariciar o sorriso do meu rosto. A viagem está apenas no começo e pode ser especial.

Às vezes, o começa da viagem nos proporciona navegar por um mar calmo por dias, semanas, até meses, mas, às vezes, ao dobrarmos a primeira curva rumo ao mar aberto, já sofremos as primeiras pequenas avarias, às vezes, grandes demais para voltarmos ao cais, e já somos obrigados, logo no início da viagem, a fazer pequenos reparos, costurar as velas, até mesmo colocar os coletes salva-vidas para seguir nossa viagem. Sinal que a viagem não será nada fácil.

A vida é assim, um veleiro navegando em um mar aberto sem saber o que vai enfrentar durante a viagem. Deixamos o cais querendo aportar com segurança em novo porto ao final do ano e, por isso, quando deixamos o cais, precisamos nos vestir de otimismo e, ajustar as velas é fundamental. Não podemos, no meio da viagem, nos queixar do vento, temos que estar pronto para enfrentar o mar, mesmo porque o mar nunca é sempre calmo. Assim como a vida.

Jamais conseguiremos atravessar os oceanos rumo ao nosso porto seguro, sem enfrentar grandes tempestades em alto mar. É claro que teremos dias de céu aberto, calmaria, que podemos soltar o leme e curtir a viagem, mas, por outro lado, também enfrentaremos dias de chuvas finas, fortes e grandes tempestades, que sacudirão nosso veleiro. Às vezes, acharemos que o barco virará tamanha a violência com que seremos atingidos. É a hora de agarrarmos firme no leme.

Assim, como um veleiro navegando no mar nem sempre calmo, é a nossa vida. Sempre que iniciamos um ano, desejamos que nossa jornada seja feita de paz, alegria e de muito sucesso, mas, por mais que façamos o nosso melhor, que executemos nossos planos da melhor forma possível, viver é estar no mar aberto, jamais conseguiremos dominá-la, temos é que nos adaptar o mais rápido às situações que ela nos apresentar, pois estaremos longe para que possamos regressar ao cais.

Portanto, devemos aproveitar esses primeiros dias no mar, para ajustar as velas do nosso veleiro e nos prepararmos para uma viagem que pode não ser tão tranquila quanto imaginamos ao deixar o cais. E, se quem já deixou o cais sofrendo alguma avaria, é hora de reduzir a velocidade, reforçar as velas, reparar o que ainda der para reparar e por as velas ao vento, não tem outro jeito, pois viver é preciso.

A vida pode até machucar em algum momento, isso não dá para evitar, é assim navegando, nem sempre teremos dias calmos, por isso, ajustemos as velas e nos preparemos para enfrentar os dias de felicidade e os dias de muita dor. O importante é não deixar que as tempestades que possam nos pegar no meio da viagem, façam nosso barco virar, pois, temos um mar de oportunidades para conquistar e um porto seguro para chegar ao fim de nossa viagem.

Uma resposta para Ajustando as velas

  1. mariel disse:

    A vida como um veleiro. O mar como os dias. Lembre: nenhum marinho que faça jus ao nome nasce em oceanos calmos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: