Obrigado por tudo!


Sempre quando se chega ao final de um ano, busca-se fazer uma reavaliação de tudo o que nos prometemos fazer no final do ano anterior, uma espécie de balanço dos pontos positivos e negativos que nortearam nossa vida durante todo o ano, as metas traçadas, os sonhos sonhados, realizados ou não, as promessas feitas e não cumpridas, as mudanças prometidas, pois sempre pedimos mais e mais a cada ano, tudo que temos nos parece sempre pouco.

Talvez isso nos aconteça porque pensamos no ter; a casa nova, o carro novo, um emprego que nos pague mais, em oportunidades de enriquecermos mais rápido, e é natural que, ao final de cada ano, sempre acabamos nos frustrando por não termos realizado este ou aquele sonho. A verdade é que somos muito pidões! Achamos que tudo que temos é sempre muito pouco e reclamamos se não conseguimos trocar o celular, a TV da sala, ou até mesmo comprar uma roupa nova.

É claro que ao final do ano passado eu também fiz os meus pedidos, minhas promessas, sonhei os meus sonhos mais impossíveis, mas no decorrer do ano, fui olhando a vida com outros olhos, fui observando a minha volta e vendo que muito maior que a vontade de satisfazer meus desejos, era a necessidade de enxergar o quanto precisava valorizar o quê já tenho. Se hoje não estou melhor, talvez seja pelo fato de reclamar demais e pedir mais do quê agradecer a tudo que conquistei.

Aprendi este ano, a duras penas, que não temos problemas, temos situações que ainda não conseguimos resolver. Quando resolvemos nos olhar no espelho e ao nosso redor, enxergamos que quem tem de fato problemas é justamente quem nos mostra como é possível ver tudo de um modo diferente. E a vida me mostrou ainda como tudo pode acabar em um piscar de olhos. E foram tantos os queridos que se foram. Do quê adianta eu pedir tanto?

Por tudo que vivi e vivenciei este ano, sei que não tenho direito algum de pedir mais nada, a não ser saúde e disposição para continuar buscando a solução para resolver as situações que ainda não consegui resolver. De tudo o quê preciso, eu já vi que não tenho mais precisão, pois tenho tudo, uma esposa, amiga, companheira e parceira de vida, filhas maravilhosas, bons amigos conquistados, uma casa confortável, um carro que me leva e traz, um trabalho e o reconhecimento pela minha arte.

Portanto, só tenho a agradecer imensamente a oportunidade de ter sobrevivido às tempestades deste ano, e elas não foram poucas, e ainda assim, ter conseguido chegar revigorado ao final de mais um ano, certo de que aprendi muito com tudo o que passei e com o que vi os outros passarem. Para o próximo ano, não faço grandes pedidos, nem grandes promessas, só espero poder ter a oportunidade de chegar ao fim do ano que se inicia podendo dizer: Obrigado por tudo!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: