Está tudo errado, mas está tudo bem.


Não é de hoje que o discurso de qualquer político é o de que estão sempre preocupados em fazer o melhor pelo bem do povo, aliás, é justamente esse o motivo pelo qual cidadãos são escolhidos políticos, para representar o povo, salvaguardando sempre o seu bem estar e garantindo que as necessidades básicas como moradia, saúde e educação sejam supridas. Mas hoje em dia, político virou sinônimo de corrupto e, com tanta corrupção, cada um está mais preocupado em limpar seu nome no meio de tanta lama.

Nunca antes na história desse país o povo se defrontou com uma classe política atolada em sujeira até o pescoço. Não há quem se salve. Não existe mais confiança na classe política, pois aqueles a quem o povo outorgou como seus representantes, não estão nenhum um pouco preocupados com a vida do cidadão. Os conchavos e a disputa pelo poder deixam claro que o quê interessa para classe política é permanecer no poder, custe o que custar. Ninguém quer perder essa boquinha.

E o resultado desse quadro é que essa crise política alimentada diariamente com trocas de favores e ameaças veladas de um corrupto para o outro, faz o país ir definhando, destruindo a ética, subvertendo atos criminosos com a desfaçatez e deixando o cidadão ainda mais sem esperança. A impressão que fica é que estamos em um navio à deriva, em que os comandantes brigam pelos salva-vidas, enquanto o povo vai se afogando no mar de lamas que esses políticos navegam.

Se não bastasse isso, o governo de São Paulo resolve de maneira autoritária, reorganizar o processo educacional do Estado, separando as escolas por ciclos e fechando outras tantas. Se a reorganização por ciclo tem seu benefício pedagógico, isso é discussão para oura hora, o que vale salientar aqui é que todo processo poderia e deveria ser feito paulatinamente, à medida que, cada turma em andamento em cada escola, encerrasse o seu ciclo, ficando assim, aos alunos que fossem iniciar um novo ciclo, transferidos para a nova unidade.

Para piorar ainda mais o quadro autoritário instalado pelo mandatário mor do Estado, alguns alunos, (que prefiro acreditar não estarem sendo usados como massa de manobra dessa nojenta guerra pelo poder), saíram em defesa do não fechamento de escolas, (diga-se de passagem, uma reivindicação justa e legítima, já que ninguém pode aceitar uma mudança de regra no meio do jogo), provocando um clima de guerra. Só que a Segurança que devia zelar e proteger o cidadão se veste de truculência para resolver tudo à força.

Mas, o quê falar da Segurança? Hoje fica cada vez mais claro que ela só protege e está do lado, de quem tem o poder. A lei só vale para o pobre, da periferia, que acaba sempre sendo morto antes de qualquer averiguação, (vide o que ocorre na cidade do Rio de Janeiro). Quem tem poder, manipula a lei ao seu favor, gerando no consciente coletivo, a sensação da impunidade, basta ver o quê os políticos e empresários, embora alguns estejam presos, estão fazendo nas investigações da Lava Jato.

Para onde olhamos, vemos como as coisas estão erradas e nada está bom, são valores invertidos, culpas transferidas, egos inflados, crise econômica e financeira, mas o que importa é essa briga pelo poder travada por uma classe política escrota, constituída por ratos de esgoto, que foi eleita para representar o cidadão e que não tem o menor pudor de usar a sua cara mais lavada para negar qualquer ato ilícito ou amoral. Mas, ainda que uma parte do povo diga que está tudo errado, a outra parte dirá que está tudo bem.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: