Jogando contra a Educação


Dia após dia a questão da Educação vem sendo deixada de lado, ainda que o discurso dos governantes tente nos fazer parecer justamente o contrário. Mas é nítida a desimportância que os chefes dos executivos de todas as esferas da Federação e de seus pares, dão ao tema, vide o exemplo da destituição do Ministro da Educação, um professor renomado é tirado para que se colocar em seu lugar, um companheiro partidário para atender conchavos políticos.

Já não fosse isso por si só, um descalabro, em qualquer país sério que pense a Educação com a sua devida importância e com a prioridade que o assunto merece, ainda vemos, por exemplo, o governo de São Paulo e seus pares responsáveis pela Educação no Estado, aplicar gestões equivocadas como: fechar escolas, inchar classes de aulas e deixar os alunos sem quaisquer condições mínimas de absorver qualquer tipo de conhecimento.

Diante de tudo que temos visto em termos de benefício para a Educação, o que está bem claro e fácil de notar, é que o discurso propagado por quem diz cuidar da Educação em nosso país, não passa de um monte de falácias e bravatas demagógicas, que buscam iludir a população com promessas de que se está investindo fortemente na Educação. Mas a quem eles pensam que enganam? A eles mesmos, pois estão forjando um país de analfabetos funcionais.

E é simples verificar este quadro caótico no sistema educacional do país, qualquer professor que está em sala de aula, sabe muito bem a dificuldade que é não ter ninguém que dê a devida importância para questão da Educação. Ainda que tomemos conhecimento de várias histórias, de tantos professores, que fazem mais do que o possível ser feito, essas são ações pontuais que, dificilmente, alcançarão o status de referência educacional.

Depois não adianta nada querer resolver a questão social do menor infrator, com a Educação. É o mesmo que vender pente para careca! O governo mal cumpre o que diz a Constituição Brasileira sobre a Educação, suas funções e os objetivos a serem alcançados e ainda quer usar uma Educação capenga para resolver o seu descaso social? Hoje, para os governantes, o que importa é ter criança na escola e não criança aprendendo.

O pior de tudo, é que entra ano e sai ano, formam-se pedagogos, mestres em Educação fazem novos estudos, tentam novas iniciativas, buscam outras saídas para melhorar a questão da Educação, mas nada sai do lugar. Por quê? Porque nenhum governante quer de fato fazer da Educação à mola propulsora e transformadora deste país. Pátria Educadora fica bonita no slogan publicitário, porque nas salas de aula a realidade é bem diferente.

Enquanto isso, quem realmente acredita que a Educação faz e pode fazer a diferença, vai semeando suas pequenas sementes, na esperança de um dia ver florescer diante dos olhos, uma Nação verdadeiramente educadora, forte e revigorada, onde povo dê o devido valor ao ensino e se torne também, decidido e capaz de repelir quaisquer governantes que se atrevam a entrar em campo para jogar contra a Educação.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: