A desgraça nossa de cada dia


Não tem jeito mesmo, por mais que o ser humano brade aos quatro cantos que viva uma busca quase desenfreada pela felicidade, o fascínio pela desgraça parece que o hipnotiza de tal forma que alimenta uma tristeza quase que sem fim. Por todos os lados nos chegam notícias e informações desanimadoras, que nos empurram para a beira do abismo, prontos a nos atirar a qualquer momento. É a desgraça nossa de cada dia.

A vida já é tão complicada, mas as pessoas ainda insistem em despejar a cada dia, uma quantidade de desgraça suficiente para minar qualquer tentativa de se viver em paz. Beira as raias do masoquismo essa disseminação nas más notícias, dos desastres, das mortes; são crimes e assassinatos esmiuçados até a última gota de sangue, é a dor alheia exposta como ferida aberta para o deleite dos urubus de plantão.

E despendem horas e horas jornalísticas quando acontece uma grande tragédia, vender a dor e o sofrimento parece mais importante do que vender a alegria e a felicidade. Tudo na nossa vida tem o lado da alegria e o lado da tristeza, mas a preocupação em dar ênfase à desgraça é o que realmente movimenta nossas vidas. É sempre o olhar para o pior, para o que é ruim, para o que não dá certo, para o que não presta.

Sabe aquele momento, em que as já coisas não andam, que já está tudo degringolando, você está pensando em por um fim em tudo? É sempre nessa ora chega alguém para ajudar a te empurrar ainda mais para o buraco. Salpicam lamentos e a negatividade se torna a tônica da conversa. E aquilo que deveria ser uma conversa de alento, se torna uma tortura e, quanto mais você fala, pior você fica. É um pessimismo sem fim!

Assim, a vida vai sendo alimenta pelo gosta da desgraça sem que a gente nem se dê conta disso, pode parecer que não, mas, sem querer caímos sempre nas mesmas armadilhas e nos deixamos levar pelo pessimismo, pelo “nada da certo”, pelo “estamos em crise”, pelo “somos azarados”; e ficamos inertes, paralisados diante de uma desgraça plantada para nos fazer pensar que a vida é um fardo maior do que ele realmente seja.

É certo que vivemos mais tristezas do quê alegrias em nossos dias; a vida é um resolver constantes de problemas e, por isso mesmo temos a obrigação de ter um olhar mais positivo sobre cada situação. A desgraça é parte do viver e não pode ser o eixo condutor de nossas vidas, nem aquilo que nos cause mais interesse e nem nos desvie no nosso destino que é ser feliz. Chega de pensar, “quanto pior, melhor!”

Por isso, joguemos fora, de uma vez por todas, esse comportamento mórbido de ter interesse pela desgraça, pelo pior, por aquilo que nos coloca para baixo, não é da natureza do ser humano manter a sua vida jogada em ruínas, alimentando dor e sofrimento, como se viver fosse um fardo muito pesado para se carregar. Pensar positivo é deixar a vida mais leve e, mais leves, podemos aproveitar cada momento mágico de alegria que a vida nos proporciona.

Uma resposta para A desgraça nossa de cada dia

  1. Bom alerta. Vou procurar a felicidade com mais afinco

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: