Cuidado com a ambição


Quando não se nasce em berço de ouro, poucos são os caminhos para trilhar em busca de uma vida honesta, uma delas é a educação; Mas, não é todo mundo que pensa desse jeito, entre os que acham essa coisa de educação uma balela, está Nico. Desde cedo ele tinham uma ambição descabida e nunca se conformou com a vida de dificuldades que vivia. Bradava aos quatro ventos que seria rico e muito poderoso.

Sua mãe, que se virava lavando roupas para fora e fazendo marmitas que o irmão de Nico entregava de bicicleta pela redondeza do bairro, não conseguia conter os arroubos de impetuosidade de Nico, que queria tudo do bom e do melhor, mas estudar que era bom, nada! Trabalhar ajudando o irmão nas entregas de marmita, então, nem pensar. Da escola, foi expulso várias vezes, até que desistiu de vez de estudar e resolveu encurtar seu caminho.

As amizades que fazia com os que, como ele, passavam os dias na vadiagem, eram todas tortas e, por intermédio de uma delas, Nico começou a praticar seus primeiros golpes. Junto com outros garotos de sua idade, andava pelas feiras livres batendo carteiras de donas de casa desavisadas. A princípio, aquele dinheiro fácil, que lhe proporcionava satisfazer certos desejos, foi sendo pouco e, não demorou muito ele buscou outra atividade.

Descobriu por intermédio de um dos seus camaradas da rua, que o “patrão” do morro estava selecionando gente para trabalhar como avião. Nico não pensou duas vezes, afinal de contas, o dinheiro era muito bom. Ambicioso como ele só, convenceu o “patrão” e não demorou muito já comandava sua própria turma de aviões. O dinheiro começou a entrar na sua vida como água. Nessa altura, já não morava mais com a mãe e o irmão, se malocava nas quebradas do morro.

A sede de ambição de Nico ficava cada vez mais insaciável e já não lhe satisfazia comandar apenas aviões, queria ter seu próprio ponto de venda de drogas. E não foi difícil para Nico. Com a ajuda do “patrão”, eles invadiram um outro ponto de drogas, executando todo mundo e, de presente, Nico ganhou aquele ponto só para ele. Agora Nico já se sentia realizado, no alto de seus vinte anos, estava rico e poderoso.

Nem da mãe e do irmão, nunca mais ouviu falar, mesmo porque, já não podia circular livremente como antes. Era um bandido procurado e com recompensa estabelecida para quem desse o seu paradeiro. Mas, Nico estava feliz, dinheiro, mulheres, bebidas, luxo e poder; há tempos não convivia mais com aquela vida miserável dos tempos de criança, agora, tinha tanto dinheiro que nem sabia contar o quanto possuía.

Mas a ambição sem limites de Nico acabou sendo a sua própria ruína, querendo mais poder, armou-se de um exército e decidiu que derrubaria o seu velho “patrão”. Achava que aquele que lhe colocou na posição que ocupava, estava velho demais e dando muito mole para os “alemão” da polícia. Então, na calada da noite, armou sua emboscada, mas, o que ele não sabia é que entre os seus, existia um outro Nico ambicioso, que não pensou duas vezes e entregou sua cabeça de bandeja para o “patrão”.

2 respostas para Cuidado com a ambição

  1. Uma história bem contada. Triste, mas bem contada.

  2. Paulo Sacaldassy disse:

    Obrigado pelo seu prestígio de sempre, Mariel! Grande abraço!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: