Samba, suor e amor


Todo ano é assim, aliás, desde que se entende por gente, é desse jeito, quando se aproxima o carnaval, Pinguim deixa a sua vida de lado e passa a dedicar os seus dias, à Escola de Samba Simpatia do Parque, sua grande paixão. É do trabalho para quadra, da quadra para o trabalho, do trabalho para o barracão, do barracão para quadra, numa maratona alucinante, para que tudo esteja pronto até o dia do desfile de sua agremiação.

Pinguim abdica de tudo quando chega o carnaval, apenas para ver na avenida, sua escola brilhar; uma dedicação de fazer inveja até mesmo a alguns componentes da própria agremiação. Pinguim não faz parte da diretoria, não toca nenhum instrumento, não é destaque, patrono, celebridade, não é nada. Nada, não! Pinguim é um operário que transforma sua vida pelo samba, e dá o seu suor pelo amor que sente pela escola.

E não precisa que ninguém peça, assim que a diretoria começa a colocar em prática a construção do enredo escolhido, Pinguim se coloca a inteira disposição para fazer qualquer coisa. Nesses tempos, Pinguim se transforma em tudo, é cozinheiro, ajudante de cortador de isopor, de serralheiro, de carpinteiro, costureiro, vigia, aonde tiver precisando de mão de obra, lá está Pinguim. E tudo, sem nenhuma remuneração, mesmo porque não há verba na escola para isso.

Mas o dinheiro nunca foi problema para Pinguim, ele está ali por amor, interessado apenas em ver sua escola bonita na avenida. Não dá o duro que dá, pensando em ganhar dinheiro algum, isso ele recebe trabalhando. É assim que ele responde àqueles que o chamam de trouxa. Nunca entenderão o que é amar uma agremiação! Nunca entenderão o quanto cada gota de suor derramada o deixa feliz. Nunca entenderão o que representa o samba na vida de Pinguim.

As noites mal dormidas em meio a retalhos de cetim, a pedaços de isopor, a materiais reciclados; as olheiras, as mãos sujas de cola, sangue e purpurina não chegam a ser problema e, quanto mais perto do carnaval, quanto maior o cansaço, maior é a dedicação e a felicidade de Pinguim. A correria acelera sua adrenalina e ele acaba passando vários dias, virado. Não se deixa abater e não para enquanto não vê tudo pronto.

E quando chega o carnaval, com a escola pronta na avenida e a bateria aquecendo toda a comunidade antes do desfile, nem assim o cansaço vence Pinguim, ele veste sua fantasia, estampa o seu rosto com um largo sorriso e caí no samba cheio de empolgação. Cantando o samba na ponta da língua, desfilando pela passarela toda a sua felicidade, agora, já não lhe importa se a escola será ou não, campeã, o que lhe interessa é que mais um ano, a sua escola foi bonita para avenida e ele contribuiu para isso tudo.

Uma resposta para Samba, suor e amor

  1. Acho pinguim um cara legal. Mas não consigo entender amor por carnaval.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: