Guerras não trazem a paz


Aprendi a duras penas que devo sempre me colocar no lugar do outro, portanto não vou tomar partido nem por esse, nem por aquele, mesmo porque já sentia na pele que não se consegue a paz alguma, fazendo guerras. Por vezes, a minha intolerância desencadeou conflitos desnecessários, ferindo sempre aqueles que não tinham nada a ver com as minhas desavenças. Sei que não é um processo fácil, por isso todo dia procuro praticar a tolerância.

É claro que, ás vezes, cruzamos o caminho daqueles que buscam a guerra a qualquer custo, estão sempre provocativos e preocupados, única e exclusiva-mente com suas cercanias. São quase sempre surdos para o quê lhes falam e cegos para o quê lhes mostram, nada os move de suas posições, pois mudar de opinião sobre esse ou aquele assunto sempre estará fora de questão. Espalham rastilhos de pólvora por onde passam.

Não estão preocupados com o pensamento alheio, muito menos com os problemas que podem causar, nada e nem ninguém é mais importante do que os seus interesses e, para isso, estão sempre armados e preparados para usar de violência para conquistarem o que desejam, ou ainda, não deixarem que lhes tomem o que julgam ser de suas propriedades. Não mede conseqüências, são inconsequentes, vis e podem até se tornarem sanguinários.

Quando nos colocamos no lugar daqueles que tem suas vidas transformadas de uma hora para outra, por atos e práticas de guerra, a tristeza faz com que enxerguemos a paz muito além do alcance dos nossos olhos. Vemos vítimas indefesas sofrendo com ataques intolerantes daqueles que estão preocupados, com suas razões e seus motivos, ainda que ambos não tenham razão, nem motivo algum, pois, os Senhores da Guerra não tem uma coisa, nem outra.

E quando nós ampliamos nosso comportamento intolerante e irredutível e nos transportamos para o centro de um conflito maior, podemos perceber o mal que se faz a tanta gente quando ao invés da paz preferimos a guerra, quando ao invés do diálogo, buscamos notar que causamos só destruição e acabamos, invariavelmente fazendo muitas e muitas vítimas inocentes.

Por isso, enquanto o homem achar que precisa se utilizar de guerras para fazer valer sua opinião, usar da violência para conquistar seus territórios, e não aceitar o diálogo como argumento para contrapor uma outra posição, veremos surgir, muitas e muitas vítimas inocentes, que terem suas vidas transformadas sem jamais reconquistarem de volta a paz que existia antes. Depois das guerras só o que fica é a dor do sofrimento.

Não importa o tamanho da guerra que você provoque, se contra uma outra pessoa, ou contra uma outra nação, você nunca terá razão, pois na guerra, os seus motivos e argumentos se perderão pelo rastro da dor e do sofrimento que você espalhará. Quando buscamos dentro de nós os esforços para sermos mais tolerantes, damos os primeiros passos para compreender que nenhuma guerra é capaz de trazer a paz.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: