Os frutos da mídia


Não há como negar que o poder da mídia é avassalador, arrasta tudo o que vê pela frente, tal e qual um tsunami. E, com essa força, ela impôs as suas regras, as suas vontades, determinou usos e costumes, vendeu um novo mundo que, a sociedade, nem se deu conta que comprou, pagando por isso, um preço muito alto. Agora a sociedade se descobriu refém dessa mídia, só que não sabe muito bem como resolver o problema.

A mídia distorceu tanto as coisas, que a sociedade não sabe o que é o bem, o que é o mal, qual atitude tomar diante de tal situação. Não sabe se protesta, ou se contesta o protesto, se é a favor, ou se é contra, se é minoria, ou se é maioria. A sociedade, que virou massa de manobra, perdeu sua identidade em troca de viver uma vida que a mídia determinou como a ideal. O que ontem fazia sentido na vida de todos, hoje não vale nada na vida de quase ninguém.

Há tempos a mídia, em troca de alguns bons trocados do consumismo, estimulou as compras desenfreadas, banalizou a intimidade alheia, propagou a depravação, o apelo ao sexo, incentivou festas regadas a muito álcool, distorceu valores morais e éticos e fez a vida não ter valor algum. Plantou a semente da indiferença e fez nascer na sociedade seres irracionais que, acreditando em tudo que a mídia lhes vendeu, roubam e matam por nada.

É certo que a mídia foi e é importante para sociedade, principalmente quando se preocupa em levar conhecimento e cultura aos povos distantes. Ela também ajudou a derrubar vários tabus, deu voz aos excluídos e as minorias, divulgou a injustiça social, mas vendeu a imagem de uma vida fácil, regada a muita luxúria, muita ostentação, onde o bem sucedido não é mais aquele que trabalha de sol a sol, buscando construir o progresso.

A mídia criou uma imagem distorcida do que seja sucesso, do que seja felicidade, do que seja viver e, a sociedade, comprou a ideia fazendo com que, muita gente, nem que seja na base da força, busque viver essa realidade de mentira, criada apenas para satisfazer o bel prazer de alguns. A menina quer ser a gostosa da vez, o menino quer sexo, carrões e muita bebedeira e os frutos que essa mídia gera a cada dia, já nascem podres.

Em troca da vida que a mídia vendeu e vende, mais e mais, a cada dia, muitos perdem o que tem de mais sagrado, o direito à liberdade. A sociedade está no meio de uma quase guerra civil e nem se dá conta disso. Os que conquistaram a vida que a mídia vendeu estão à mercê dos outros tantos que querem para si a mesma vida, nem que para isso, plantem o medo, a insegurança, e criem uma atmosfera de violência constante.

A mídia fez nascer uma desigualdade social muito maior a do que sempre existiu, e fez ainda pior, gerou em doses cavalar, a ganância, o ódio, a incompreensão, a intolerância, a falta de respeito, a desonestidade, a banalização das coisas, enfim, gerou tudo de pior que pode existe num ser humano. Agora, a sociedade agoniza, está entre a cruz e a espada, não sabe quem é polícia, nem sabe quem é ladrão e vive com a vida por um fio.

Anúncios

4 Responses to Os frutos da mídia

  1. Néia disse:

    Muito bom o texto, Paulo ! Estamos refém, isso é fato

  2. Bruno Marin disse:

    Nossa, ótima matéria, compartilho da mesma opinião que você.

  3. patricia mantovani disse:

    Realidade dura,muito bom texto,Paulo.

  4. A frase deve ser “tudo de pior que pode EXISTIR…” Concordo com tudo. O BBB é um exemplo disso. Parabéns pelo texto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: