Viver é tão simples


Ás vezes a gente passa os dias remoendo problemas e nem se dá conta como viver é tão simples. Outro dia, mergulhado em meus problemas, já nem sentia a razão exercer alguma pressão sobre as minhas emoções, só enxergava problemas, problemas e problemas. Sem equilíbrio, resolvi pegar o carro e sair estrada afora, talvez buscasse fugir dos tais problemas.

Aos poucos a música que saia do rádio do carro foi me acalmando, a razão começava a pressionar a emoção, que aquela altura já dava sinais de cansaço e passei a prestar a atenção nos carros que passavam por mim apressadamente, comecei a enxergar a beleza bucólica da natureza que margeava a estrada e vi o que os olhos já não conseguiam perceber.

Entrei na cidade já com a minha atenção totalmente voltada às pessoas que passavam pelas ruas e fui tentando analisar cada uma deles como quem buscasse encontrar alguém em pior situação com a que eu achava que me encontrava, egoísta como qualquer ser humano, sentia-me no fundo do poço, perdido, sem saída, só que aquela altura, um pouco mais equilibrado.

Parei o carro e simplesmente passei horas e horas prestando atenção no comportamento das pessoas que passavam, e pude observar o quanto estamos todos meio parecidos emocionalmente, pois discussões banais, perdi as contas de quantas presenciei. Vi as pessoas passarem carrancudas, apressadas, todas mostrando estarem à flor da pele.

Mas, de repente, uma gargalhada espontânea me chamou a atenção, busquei com os olhos encontrar de onde viria aquela centelha de felicidade que desviou os meus olhos das pessoas que eu analisava. Custei a achar, até que avistei três moradores de rua sob uma marquise de um prédio abandonado, rindo sem parar. Fixei ali meus olhos na tentava de entender tamanha felicidade.

E passei horas a fio vendo aquelas três pessoas se divertindo descompromissadamente, talvez se comportassem assim por não terem nenhuma responsabilidade, marginalizados, não sofrem pressão de nada. Foi então que me questionei, poderia haver problema maior do que viver a margem da sociedade? E reconheci ali a minha pequenez de ser humano egoísta e mal agradecido.

Não precisei buscar mais nada em minha volta, liguei o carro e parti em direção à minha casa com a certeza irrefutável de que não temos como fugir dos problemas, uns terão problemas banais, outros terão graves problemas, mas todos nós teremos problemas e não podemos deixar que os problemas nos paralisem, pois corremos o risco de passar a vida sem viver e viver é tão simples, não é mesmo?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: